5 formas de praticar o amor próprio – pela sua saúde mental

Amor próprio, um tema bastante atual e que muito de tem falado. Mas o que realmente significa? Como é que o amor próprio é importante e pode ter impacto na nossa vida? 
O que é o amor próprio?

Amor próprio é um estado de autoapreciação que se desenvolve a partir de ações que promovam o bem estar físico e psicológico. O amor próprio significa que as suas necessidades são prioridade e que não devem ser sacrificadas para agradar os outros. Amor próprio é um olhar interno positivo, olhar para si como merecedor/a.  

Alguns exemplos, de como o amor próprio é uma ação/comportamento:

Falar consigo com amor e respeito
Priorizar-se
Estabelecer limites saudáveis
Perdoar-se
Ser autocompassiva/o
Pedir ajuda
Valorizar as suas emoções e sentimentos
Fazer escolhas saudáveis
Aceitar-se
Porque que o amor próprio é importante?

O amor próprio é na minha opinião o amor mais importante, e que por vezes tanto marginalizamos. Somos o/a nosso/a companheiro/a de vida, sendo fundamental cuidarmos desta relação com todo amor e carinho. O amor próprio influencia a forma como vivemos uma relação amorosa, a forma como educamos os filhos, a forma como interagimos com os outros, a forma como gerimos/lidamos com os obstáculos da vida, cuidar do nosso amor próprio é cuidar também da nossa saúde mental. 

Tudo começa de dentro para fora. 

Como praticar o amor próprio?

O amor próprio tem um papel preponderante na nossa saúde mental, para que possa praticar e estar mais consciente da sua importância, partilho algumas sugestões de como cultivar/cuidar do amor mais importante para si, o seu:

Reconhecer as suas emoções/sentimentos. Tomar consciência de si mesmo. Todos nós sentimos uma variedade de emoções ao longo da nossa vida, mas quantas vezes estamos conscientes do que estamos a sentir? Quantas vezes nos permitimos sentir? Quando algo está errado, é importante reservar um momento para reconhecer como se está a sentir e qual o motivo/gatilho. Reconhecer e validar é fundamental para conseguir lidar/gerir as suas emoções. 

Defina limites saudáveis. Permita-se dizer não às coisas que o/a desgastam ou que o/a prejudicam física ou emocionalmente. Aplique a todos os contextos da sua vida (profissional, pessoal, familiar e/ou social). Crie e mantenha-se perto de um sistema de apoio saudável que incluam pessoas que respeitem os seus limites. Proteger-se de pessoas tóxicas é essencial para o amor próprio.

Pratique o autocuidado. Cuidar de suas necessidades básicas é essencial para ser mentalmente saudável. Exercitar-se, manter uma alimentação adequada e dormir o suficiente ajudam a melhorar e manter uma boa saúde mental. Assim como, reservar tempo para as suas atividades prazerosas. Praticar o autocuidado diariamente, por menor que seja, é um hábito saudável e uma ótima forma de praticar o amor próprio.

Praticar o autoperdão. Lembre-se, na vida ninguém é perfeito e é normal errar. E está tudo bem. Às vezes, somos muito duros connosco e isso não nos permite avançar/seguir em frente. Em algumas situações podemos ser o nosso pior inimigo. Quando tomar consciência deste diálogo interno duro e pouco compreensivo, decida que ação tomar para melhorar a situação/encontrar a solução. Altere o diálogo interno para se encorajar a dar o passo em direção ao perdão.

Aceitar/Procurar ajuda. Estar consciente das suas necessidades emocionais e procurar ajuda. Ainda marginalizamos (muito) o cuidar da nossa saúde mental e por esse motivo nem sabemos por vezes por onde começar, como prevenir, como cuidar/tratar. Uma forma de garantir essa consciência e adquirir ferramentas é procurar um psicólogo/a. Marque a sua consulta, e aprenda a olhar/cuidar de si com amor.
O amor próprio é uma ação contínua, um processo contínuo, uma escolha contínua – de investir em si e olhar para si como prioridade.
O amor próprio é vital para o seu bem estar e qualidade de vida. Invista em si – você importa.

Cuide de si com amor
Catarina Meireles

Deixar um comentário:

O seu email não será publicado.

Site Footer